Momento de Nudez Emocional



Encontrei nos meus documentos este "rascunho" que escrevi há um ano e uns meses atrás ...

Fevereiro de 2015


Falar sobre crenças? Claro ... seria impossível falar sobre qualquer assunto sem falar das crenças, a verdade é essa.

São as crenças que comandam a nossa vida. É aquilo em que acreditamos que se traduz na vida que temos. Disso eu sei, não tenho a menor dúvida, mas como ter crenças diferentes? Como ter uma vida diferente?

Estou habituada à vida que tenho, a ser quem sou e como sou! Faz parte de mim há tanto tempo que não sei como ser outra coisa.

Teoricamente sei, claro. Sei exactamente ... espera lá, recua um bocado no que ias dizer ... sabes exactamente? Sabes o quê? Quem queres ser? Como deves ser? Vamos lá pensar sobre isto então ...

Quero rir-me com mais facilidade ... ou seja, ser uma pessoa que ri com facilidade ... vamos lá pôr isto de outra forma ... sou uma pessoa que ri com facilidade! ... assim está melhor :)

Sou uma pessoa que ri com facilidade ... sou uma pessoa que confia nos sentimentos dos outros ... sou uma pessoa que baixa a guarda e confessa o que sente e o que pensa ... sou uma pessoa que fala a sua verdade, mesmo que ninguém oiça ... sou uma pessoa acessível, de coração aberto, disposta a ser enganada e a sofrer pelo prazer das emoções fortes e positivas enquanto duram.

Como é uma pessoa assim? Como (seria) sou eu? Falo com todos, olho os outros nos olhos, avanço com quem sou, deixando aos outros tirarem as suas conclusões, a minha responsabilidade é ser quem sou e não proteger os outros de mal entendidos, sorrio sem medos e sem culpas, falo com todos como se sempre os conhecesse, mantenho o contacto.

Ufa ... que trabalheira ... como é que uma pessoa solitária como eu sempre fui faz isso tudo? Gosto de companhia, mas preciso do meu espaço, não sei socializar sem um propósito, não tenho paciência para conversa furada, a vida ensinou-me que se dá-mos um pouco mais de nós, os outros querem ainda mais. Mas tenho de mudar ... vou mudar ... porque da forma que sou não me permito ser quem verdadeiramente sou. Ter de estar sempre a pensar nos outros, nas consequências para eles e para mim ... ufa, isso sim é uma trabalheira. Ser irresponsável é o que está a dar ... ser irresponsável e egoísta ... fazer o que quero e ser quem sou ... eu vou só divertir-me ... fazer e dizer o que me apetece ... porque eu sou uma pessoa divertida, alegre, extremamente extrovertida e sociável ... no meu fundo eu sou, eu sei que sou ... por isso tenho de parar de ser quem não sou!!!


Hoje 2016


Enquanto reescrevia o texto neste blogue a minha mente automaticamente procurava as diferenças entre este antes e o agora.

A primeira conclusão foi nada, nada disto mudou. Continuo o mesmo bichinho do mato, a mesma pessoa introspetiva e solitária. Adoro conversar e socializar, mas preciso do meu espaço, do meu tempo para mim (que tem de ser muito). Não sou compatível com compromissos, nem com as regras do conviver em sociedade.


Mas enquanto escrevia dava-me conta que afinal muito disto mudou!

Várias vezes "apanho-me" a rir às gargalhadas com momentos simples no meu dia-a-dia ou coisas que vejo na rua ou na internet. Adoro rir, permito-me rir! E é um riso livre, sem as amarras do sofrimento do passado que antes trazia sempre acorrentado, ou sem o medo das consequências. Várias vezes nestes últimos meses dei por mim a dar conta disso quando ria bem alto. Como me rio com mais facilidade, com mais vontade, com mais sem grande motivo para o fazer, como me rio com mais liberdade.

Sim, isso mudou ...


Mas mais nada, pensei ... espera ... tu agora tens um blogue, dois na verdade, ainda não te atreves a escrever tudo o que gostarias de dizer, mas já o fazes numa medida que antes era impensável para ti!


Pois é :)


E mais ... até sorri por dentro ... encontrei este texto e decidi partilhar no meu blogue ... que é público. É provável que amanhã me arrependa e o apague ... ou talvez não ... afinal já não sou quem era, e mudar, mudar sim é possível. Não acontece de um dia para o outro e só acontece na medida em que vamos libertando as nossas amarras com as tais crenças que não nos pertencem, que não nos deixam ser quem somos.


E nada acontece por acaso, nem eu encontrei hoje este texto meu por acaso.

Hoje à tarde estive sentada à beira-mar a refletir um pouco sobre a vida e sobre mim.

Pensei sobre o quanto tenho mudado e quanto me orgulho disso.

Sempre vi a minha vida como uma evolução e crescimento constante, mas nos últimos anos o crescimento tem sido diferente, tem sido, essencialmente, um crescimento de liberdade. Todo o dia acordo diferente do dia anterior ... não sei como é possível, mas é. E também nem sei sequer como explicar exatamente o que quero dizer.

Mas constantemente dou-me conta de coisas que faço e antes não fazia, de coisas que sou capaz e antes não era, de coisas que são naturais para mim e antes causavam desconforto ou eram até impossíveis, seja na minha vida pessoal ou profissional.


Estava à procura de uma foto que tenho para um artigo que ia começar a escrever e encontrei este texto. Sei lá porquê resolvi publicar isto, e enquanto o fazia mais ainda percebi sobre o quanto tinha mudado. E olhem só quanta reflexão uma coisa tão simples originou, e que irá dar origem a muita mais transformação, como uma pedrinha que cai na água e cria ondas que se propagam sem fim.


#CaminhoPessoal #DesenvolvimentoPessoal #SerDiferente

Contacto

+(351) 922 265 933​

wellbeing.terapias@gmail.com

Morada

Av. dos Pescadores, 549

4490-013 Aver-O-Mar

Póvoa de Varzim

Porto, Portugal

WELLBEING&LIVING BY THE SEA

       

Orientação para a Gestão do Stress e Desbloqueio de Vida

Massagens e Terapias | Formação e Workshops